Perícias e Vistorias

Em momentos de crise, o mercado de veículos usados e seminovos costuma se manter em crescimento. Isso porque quem procura por carros seminovos tem a vantagem de preços mais acessíveis e conta com mais acessórios. Outra vantagem são as taxas de IPVA e emplacamento já quitadas pelo antigo proprietário e também desconto no seguro.

Porém, apesar dos benefícios, existe um ponto que exige atenção: a transferência dos documentos do veículo. Afinal, apenas com isso o veículo realmente troca de dono oficialmente, evitando assim possíveis mal-entendidos.

Requerimento

O requerimento para transferência de veículo é solicitado ao Detran de sua cidade, que exige alguns documentos. O agendamento é feito no site ou por telefone. É importante consultar a lista de documentos, mas geralmente são pedidos: Documento de identidade e CPF – original e cópia simples; CRV preenchido, datado, assinado e com as firmas reconhecidas; Comprovante de pagamento da taxa de transferência e demais pendências; Laudo da empresa que efetuou a vistoria e Comprovante de residência – original e cópia simples.

 

CRV e ATPV

O primeiro passo depois de negociar o veículo é obrigatório: procurar o cartório para reconhecer firma por autenticidade das assinaturas (no verso do Certificado de Registro de Veículo – CRV, de posse do vendedor). Comprador e vendedor devem apresentar seus documentos de identidade válidos e CPFs. O ideal é ir a um cartório onde já tenham firma aberta ou terão que fazê-lo antes da transferência.

Em caso de extravio, perda ou dano ao CRV, devem solicitar a 2ª via no Detran local. No verso do CRV há o espaço para preenchimento dos dados necessários para que seja efetivada a Autorização para Transferência de Propriedade de Veículo – ATPV. É preciso colocar a data e as assinaturas de vendedor e comprador. O comprador ficará com o CRV para dar entrada no processo de transferência do veículo no Detran local, concluindo o processo em até 30 dias ou será multado.

O vendedor tem um prazo de 30 dias para comunicar a venda do veículo ao Detran. Em alguns Estados a comunicação é automática via cartório. O ideal é que o vendedor fique com uma cópia autenticada do CRV preenchido (frente e verso) e com as chancelas das firmas, caso precise fazer a comunicação da venda, via internet, no site do Detran Estadual ou pessoalmente no Detran local. Isso evita que o vendedor assuma eventuais multas ou acidentes no período em que o veículo ainda não havia tido a transferência concluída.

 

Taxas

O pagamento das taxas e débitos é o próximo passo para a transferência de veículo. O comprador deve pagar a taxa de transferência e débitos pendentes na rede bancária, como tributos (IPVA); seguro obrigatório DPVAT; taxa de licenciamento; multas etc. É preciso quitar as obrigações vencidas e as futuras do ano em exercício. O pagamento é realizado na rede bancária, que é vinculada ao Detran do Estado e pode ser feito no caixa eletrônico. Basta informar o Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores) do veículo e o sistema apresenta os débitos pendentes. É importante guardar os comprovantes de pagamento.

 

Vistoria

Todo veículo deve passar por vistoria antes de ser transferido. Em cada região existem empresas especializadas e credenciadas para fazer essa vistoria e fornecer o laudo que deverá constar na documentação de transferência. Os valores cobrados pelas empresas de vistoria variam em cada Estado.

A vistoria de identificação veicular tem como objetivo verificar a autenticidade da identificação do veículo e da sua documentação;
a legitimidade da propriedade; se os veículos dispõem dos equipamentos obrigatórios, e se estes estão funcionais; se as características originais dos veículos e seus agregados foram modificados e, caso  constatada alguma  alteração,  se  esta foi  autorizada,  regularizada e  se  consta  no prontuário do veículo na repartição de trânsito.

É muito importante a vistoria para que a transferência seja concluída com sucesso. A Terceira Visão realiza pesquisa com dados de bancos nacionais sobre o veículo, evitando que você compre carros roubados, clonados ou caia em golpes comuns de compra e venda. Algumas fraudes só podem ser notadas por peritos treinados. Nossos profissionais vasculham o automóvel para encontrar falhas invisíveis aos fraudadores.

A perícia cautelar garante a sua segurança e de sua família, pois veículos emendados ou batidos agravam futuros acidentes. Além disso, a perícia cautelar custa menos de 1% do valor do veículo e oferece maior proteção.

Faça seu laudo de vistoria e agende a sua perícia cautelar com a Terceira Visão. Agende agora!

agende agora
Open chat